Coronavirus. Los vendedores de vino top que quintuplicaron sus ventas

O negócio nasceu focado em turistas e executivos estrangeiros, mas deu um salto na quarentena e com público local

Embora a quarentena obrigatória tenha colocado milhares de indústrias e negócios do país na corda bamba, que até foram obrigados a fechar suas portas ou reduzir sua estrutura, para outros a crise foi um trampolim para o crescimento de seus negócios. É o caso da Viners, plataforma digital de compra de vinhos de alto padrão que quintuplicou suas vendas até agora de forma isolada e planeja fechar o ano com faturamento de US$ 50 milhões.

Atrás de Viners está uma dupla intergeracional de empreendedores. De um lado está Matías Aron, 32, formado em Comércio Internacional, e do outro está Carlos Affur, 65, engenheiro e sommelier.

Aron trabalhou por cinco anos no Brasil, em um grupo de investimentos que em 2017 decidiu abrir um escritório em Buenos Aires e enviou Aron de volta à Argentina para coordenar esse desembarque. Trabalhando com colegas de outros países que ocasionalmente viajavam para a Argentina, Aron percebeu que o setor de turistas e executivos que queriam comprar vinhos para levar não recebia um atendimento adequado nem tinha a possibilidade de fazer bilhetes de restituição de impostos.

"As ofertas não atendiam a esse segmento. Os executivos que vieram para Buenos Aires acabaram correndo para uma loja de vinhos, tentando encontrar o que procuravam, e não tinham nem uma embalagem adequada para levar de avião. tinha sacos de pluribol no escritório para ajudá-los a embalar as garrafas", diz ele.

Em 2018, com a economia argentina em um de seus piores momentos, o grupo brasileiro em que trabalhava decidiu deixar o país e Aron concordou com sua saída. Junto com a Affur, começaram a estudar o mercado e em janeiro lançaram o site da Viners. Desde então, eles investiram US$ 150.000.

Embora seu público inicial fosse turistas estrangeiros, que antes da quarentena representavam 30% do volume de vendas, a pandemia do coronavírus modificou o universo de seus consumidores. Por um lado, esse universo foi ampliado pelo número de pessoas que, impossibilitadas de comprar fisicamente, recorreram pela primeira vez aos canais digitais. Por outro lado, e devido às restrições de circulação internacional, o seu público tornou-se puramente local.

Nesse cenário alterado, o volume de vendas cresceu exponencialmente. “Antes da quarentena tínhamos uma média mensal de 140 pedidos e agora chegamos a 750”, diz Aron, que projeta faturar US$ 50 milhões em vendas este ano.

Ele acredita que a explicação está associada, de alguma forma, ao fato de o vinho ter se tornado um consumo de fruição doméstica durante o confinamento, complemento de um momento de descontração em casa. E isso pode ter acompanhado, segundo Aron, uma mudança que pode ser observada na transformação do consumo de vinho nos últimos anos. “O vinho vem perdendo espaço em relação a outras bebidas como a cerveja artesanal porque não soube atingir os millennials, o público mais jovem. Mas tudo que é high-end, premium e super-premium vem crescendo. Isso fala de mudança associados em busca de qualidade: as pessoas consomem vinhos menos baratos e mais premium", destaca.

A Viners opera 100% on-line e oferece cerca de 500 rótulos de vinhos sofisticados e vinícolas boutique, com garrafas a partir de US$ 400 até US$ 21.800. Entre as coisas que Aron destaca de sua proposta, ele aponta a possibilidade de fazer um "teste de paladar" na web, que substitui virtualmente a experiência de aconselhamento de um sommelier em um wine bar.

Meio: A Nação

Por Delfina Torres Cabreros

Link: https://www.lanacion.com.ar/economia/businesses/vino-premium-los-emprendedores-quintuplicaron-sus-ventas-nid2373751

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.